Nome técnico: Inclusão de Implante Mamário de Silicone ou Mamoplastia de Aumento

Parte do corpo: Seios

Indicação: Hipomastia (mamas pequenas), mamas com pequena ptose, flacidez mamária ou assimetria mamária.

Idade recomendada: Idealmente após parada de desenvolvimento das mamas,
geralmente a partir dos 16 anos.

Anestesia: Local com sedação ou geral.

Duração da cirurgia: Em média 1h30

Permanência na clínica ou hospital: Geralmente um dia.

Cicatriz: Geralmente bem discreta, podendo ser localizada na aréola, no sulco submamário ou axila.

Localização do implante: Pode ser colocado anteriormente ao músculo peitoral (atrás da glândula) ou posteriormente ao músculo, indicado classicamente em paciente muito magras ou em reconstrução mamaria.

Tipos de implantes: Há vários tipos de implantes utilizados, o mais utilizado contém silicone altamente coesivo coberto por uma cápsula micro texturizada ou de poliuretano. A cobertura lisa já não se usa mais, após diversos trabalhos comprovarem a alta incidência de contratura capsular tardia da mama.

Forma do implante de silicone: Pode ser redonda ou em ”gota” (“pêra”), pode variar na projeção da mama e de marca para marca. Discuta com seu cirurgião plástico qual se adequa melhor ao seu corpo e ao seus desejos.

Pré-operatório: Arquivo fotográfico, exames laboratoriais, exames específicos da mama, como Ultra Som ou Mamografia, e se necessário, avaliação do mastologista e exames específicos para o paciente em questão.

Pós-operatório: Na maioria dos casos optamos por usar dreno para evitar que as secreções formadas nos primeiros dias não fiquem coletadas junto à “prótese”, ele é retirado geralmente no 1o ou 2o dia pós-operatório quando a quantidade de liquido drenado reduz. Deve-se evitar esforços com os braços por 1 mês. Indica-se para muitos casos, o uso de sutiã cirúrgico, faixa elástica acima das mamas ou ambos.
Os pontos são geralmente retirados entre 7 a 21 dias, dependendo da evolução da cicatriz.
Recuperação: É comum um certo grau de edema (inchaço) e equimose (roxidão), que costumam regredir em até 20 dias. A paciente deverá ficar afastada de esforços por 30 dias, evitando elevar os braços mais alto que os ombros nos primeiros 15 dias. Não é comum haver dor importante, apenas um leve desconforto, que melhoram com analgésicos e anti-inflamatórios comuns.A dor pode ser um pouco mais intensa nos casos que são necessários colocar a prótese mamaria por trás do músculo peitoral. A prática de esportes poderá ser retomada após dois meses. Caminhadas ou exercícios para as pernas poderá ser realizada antes deste prazo. A amamentação, no caso de gravidez após a cirurgia, segundo diversos trabalhos científicos, geralmente ocorre normalmente, o resultado no entanto, poderá ser prejudicado, com retorno de certa flacidez, devida ao aumento durante a lactação e a redução posterior do volume.



Complicações: Apesar de serem incomuns, pode ocorrer uma deiscência (abertura dos pontos de sutura), sofrimento de pele e da aréola, coleção sanguinolenta ou serosa, denominada hematoma ou seroma respectivamente, alterações da cicatrização, infecção e problemas anestésicos. Pode haver extrusão do implante ou haver a necessidade de retira-lo. Tardiamente, o corpo humano pode reagir com uma resposta inflamatória e fibrótica intensa provocando a denominada contratura capsular.
Um preparo pré-operatório adequado é fundamental para tentar evitá-las, assim como escolher um cirurgião plástico habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para executá-la. O tabagismo aumenta sensivelmente a incidência de complicação, portanto é indispensável parar de fumar por pelo menos 20 dias antes da cirurgia.
Durante algum tempo especulou-se que a prótese de silicone poderia trazer prejuízo à saúde da mulher (câncer de mama, doenças reumáticas, etc.). Após extensos estudos realizados pelos Estados Unidos, ficou comprovada a inexistência destes malefícios.


Resultado definitivo: O resultado definitivo é alcançado em torno de 6 meses, tempo de amadurecimento da cicatriz e regressão do edema. É recomendável a troca periódica das próteses” para se evitar o desgaste das mesmas. Atualmente, a qualidade crescente, garantem maior longevidade aos implantes, porém devem ser acompanhadas e examinadas periodicamente..

Associações possíveis e/ou recomendáveis:
Ressecão ou lipoaspiração de mamas acessórias se houver, lipoaspiração da área imediatamente acima da mama próximo a axila ou lipoaspiração abdominal.

Ilustração da técnica cirúrgica: